20 maio 2011

Estrela da Tarde




Era a tarde mais longa de todas as tardes que me acontecia
Eu esperava por ti, tu não vinhas, tardavas e eu entardecia
Era tarde, tão tarde, que a boca, tardando-lhe o beijo, mordia
Quando à boca da noite, surgiste na tarde, tal rosa tardia
Quando nós nos olhámos, tardámos no beijo, que a boca pedia
E na tarde ficámos unidos, ardendo, na luz que morria
Em nós dois, nessa tarde em que tanto tardaste, o sol amanhecia
Era tarde demais, para haver outra noite, para haver outro dia

Meu amor, meu amor
Minha estrela da tarde
Que o luar te amanheça e o meu corpo te guarde
Meu amor, meu amor
Eu não tenho a certeza
Se tu és a alegria ou se és a tristeza
Meu amor, meu amor
Eu não tenho a certeza

Foi a noite mais bela, de todas as noites, que me adormeceram
Dos nocturnos silêncios, que à noite de aromas e, beijos se encheram
Foi a noite, em que os nossos dois corpos cansados, não adormeceram
E, da estrada mais linda da noite, uma festa de fogo fizeram

Foram noites e noites, que numa só noite, nos aconteceram
Era o dia da noite, de todas as noites, que nos precederam
Era a noite mais clara, daquelas que à noite se amando, se deram
E entre os braços da noite, de tanto se amarem, vivendo morreram

Meu amor, meu amor
Minha estrela da tarde
Que o luar te amanheça e o meu corpo te guarde
Meu amor, meu amor
Eu não tenho a certeza
Se tu és a alegria ou se és a tristeza
Meu amor, meu amor
Eu não tenho a certeza

Eu não sei, meu amor, se o que digo é ternura, se é riso, se é pranto
É por ti que adormeço e acordo e, acordado, recordo no canto
Essa tarde, em que tarde surgiste, dum triste e profundo recanto
Essa noite, em que cedo nasceste, despida de mágoa e de espanto
Meu amor, nunca é tarde nem cedo, para quem se quer tanto!

Poema de Ary dos Santos

14 comentários:

Stargazer disse...

Minha querida Deusa,

permite-me uma pequeníssima correcção. O poema é de Ary dos Santos, cantado sim por Carlos do Carmo.

Um beleza de entardecer, este!

É bom regressar aqui para te (re)encontrar!

Beijo-te Estrela calma e luminosa :)

Venus in red disse...

My Star

Correcção, bem pertinente!
Efectuei o copy/paste, com muita rapidez, sem proceder à devida rectificação de autor!

A justiça, entretanto, foi feita... o seu, a seu dono! :)

É verdade, que é um poema extraordinário e, esta versão maravilhosa, encanta-me sobremaneira!

Belos, estes reencontros... ao fim da tarde... ;)





Basium
(de sol)

Balada da minha Alma disse...

Querida Venus,

muito gosto eu de te sentir assim: linda em todos os sentidos, principalmente no teu estado de espirito.

É isso que te torna tão especial neste mundo cheio de gente comum.

Beijão.

Lost Soul disse...

Minha Dama do Olimpo sendo eu a estrela da manhã -___- apenas te desejo um universo estrelado


que a estrela da tarde te retribua em dobro aquilo que dessa estrela mereces!

beijo

Venus in red disse...

Doce Balada

Mimas-me! :)
E eu, (em)Balada nesse canto mágico, deixo-me ir... ao sabor da brisa suave, que a tua presença aqui, me deixa no peito!

Obrigada, querida! Sabes [não, sabes?! :)] que é, absolutamente recíproco!






Basium
(de coração)

SinneR disse...

estás sempre linda ;)

bj doce

Venus in red disse...

Lost Soul

My Blue Angel... estragas-me! :)
As tuas palavras, sempre tão generosas, são elixir... mesmo!

Sabes, que te desejo, esse mesmo universo Estrelado, em tons... luminosos! [profundamente sentido e... sem lamechices! :)]





Basium
(... in red)

Venus in red disse...

SinneR

Hoje, tiraram o dia, para me fazer corar! :)

Obrigada, meu bem... pela simpatia e doçura, sempre presentes!
Este Olimpo, adora quando passas por cá! ;)





Basium
(venusiano)

soft_inblue disse...

Eu já gostava da voz dela nos DonaMaria...
"Sabe bem ter-te por perto, sabe bem(...)"

Balada da minha Alma disse...

Doce Venus,

sei sim e tu também deves saber que, mesmo sem conhecermos quem está do outro lado do blog, a sua essência consegue ser sentida deste lado. E tu tens uma alma límpida e bonita e isso ultrapassa qualquer computador :)

Beijão.

Venus in red disse...

soft_inblue

... sendo essa, a minha música de eleição dos Donna Maria... quase perfeita! :)

Este projecto, pelo que já ouvi, é também ele, muito bom... ao nível do anterior!
[dueto fantástico, adoro o Adolfo! ;)]




Basium
(musical)

Venus in red disse...

Balada

Num universo, onde tantas vezes, o que parece não é... onde tantas vezes, se criam personagens ficcionais, de tal forma credíveis, que chego a pensar que a própria pessoa, se enreda no seu próprio guião... fico sensibilizada, pelo teu comentário! Mesmo! ;)
Devo dizer-te que senti o mesmo em ti... since the beginning!







Basium
(de Alma)

Pusinko disse...

Há meses fiz um post com essa letra e o vídeo do Carlos do Carmo.
É de uma absoluta perdição para mim ler o poema de um só fôlego.

gostei muito :)
E do teu blog também.

Venus in red disse...

Pusinko

Magnifico, não é?! :)

Como gosto particularmente desta menina a cantar, agora nos Amor Electro, confesso que me rendi, a esta versão... ;)

Obrigada... twice! :)
Volta sempre que te apeteça, eu... já (te) espreitei e achei-te um piadão! [no bom sentido! aliás... num óptimo sentido! ;)]





Basium