01 fevereiro 2010

Se...

Roubada daqui



Corpo errante que em madrugadas cruas
te seduz,te encanta... te baralha, te escapa!



Vem ajeitar-me o cabelo que o vento sacudiu...



Com os dedos, leve e suavemente investiga-me!
Não sabes ao certo quem eu sou,
e eu instigo-te a uma descoberta vendada...


Saberás conduzir-te(me), sem rede?!


11 comentários:

Bernardo Lupi disse...

No trapézio e sem rede...

Venus in red disse...

Bernardo,

Fruto da coragem ou da vontade?


;)



Basium

Venus in red disse...

Vontade de...

Por lapso rejeitei o comentário... Sorry!

:(


Quanto a este, tenho a dizer que concordo... quem não arrisca, não petisca!

Mas... não é tão saborosa uma incerteza doseada?

;)



Saevium

El Solitario disse...

há sempre um "se",,,
mas "se" houver "inspiração", é bem mais fácil andar sem rede,,,

; )

Venus in red disse...

Salvete, El Solitario!


Fácil não diria... estimulante sim!

;)




Basium

El Solitario disse...

a facilidade, depende sempre da vontade!
; )

Venus in red disse...

Hummmm....

Significa então, que as coisas dificeis "machucam" a vontade?!

:)




Basium

@tt disse...

Deixas-te conduzir???




;))

El Solitario disse...

não,,,
quando queres muito, nem te lembras se há rede ou não,,,
é sempre a primeira coisa que te esqueces,,,

; )

Venus in red disse...

@tt

Perguntando assim...

;)

Deixar-me-ei conduzir nesses momentos sem rede! Apenas!
Porque nos outros, serei dona dos meus trilhos...



Basium

Venus in red disse...

El Solitario

Não poderei argumentar(te)!

Nem quero!

:)

Porque é no resquício dessa amnésia, que se obtêm deleites tão cobiçados...




Basium